A GRAÇA DE DEUS É INJUSTA

Publicado: março 23, 2010 em ARTIGOS, PROTESTANTISMO, RELIGIÃO, TEOLOGIA

 

ESTA FOI UMAMENSAGEM QUE PREGUEI QUANDO CONVIDADO A DAR UMA PALAVRA EM UMA IGREJA PROTESTANTE: MISSÃO EVANGÉLICA PENTECOSTAL DO BRASIL

ESBOÇO DA MENSAGEM

Jean Jacques Rousseau em seu livro “Contrato Social” escrevera:

“Não tenho a capacidade de ser claro para quem não quer ser atento”:

 Advertência essa que tomo emprestado antes de iniciar esta mensagem.

 TEXTO: Ef. 2.1 – 10

A GRAÇA DE DEUS É INJUSTA

PERGUNTA RETÓRICA: O que é a graça? É paciência? É fé? Se nós sabemos, porque nós erramos tanto ao falar na graça?

 INTRODUÇÃO:

            ……………………………………………………………………………………..

 Feitas essas considerações: Volto a afirmar: A GRAÇA DE DEUS É INJUSTA. Eu sei que afirmação pode soar como heresia ou como invenção teológica moderna, porém, como a seguir veremos, é uma verdade presente nas Sagradas Escrituras e tão óbvia que sempre nos passa despercebida.

Comecemos pelos conceitos

 EM PRIMEIRO LUGAR

 I – O QUE É JUSTIÇA:

 O juiz quando julga atribui a cada pessoa os seus direitos e obrigações. Justiça, então, é dar às pessoas aquilo que elas merecem, sejam coisas boas ou más.

 II – O QUE É GRAÇA:

             Contrariamente, é favor imerecido. A pessoa recebe algo sem merecer ou sem ter envidado algum esforço para tanto. É ganhar um presente. Uma dádiva.

Os conceitos de justiça e graça são como visto, diametralmente opostos.

1 – Justiça é direito. Graça é favor.

2 -Justiça é merecimento. Graça é desmerecimento.

3 – Justiça é possibilidade. Graça é necessidade.

4 – A justiça divide. A graça soma.

5 – A justiça exclui. A graça inclui.

 III – O QUE O TEXTO NOS ENSINA?

             São muitas as lições neste texto: não disponho de tempo de discorrer. Muitas doutrinas foram retiradas deste texto, me deterei a retirar apenas informações de alcance do ensino.

            Ef 2.1-7 – Descreve nossa condição pecaminosa diante de Deus.

            A salvação não tem origem nas obras que fazemos. Nossas obras não são a fonte de nossa salvação. A salvação não tem origem na qualidade e característica de nossas obras.

            Outros textos nos remetem a essa compreensão que não podemos esquecer ou deturpar essa verdade:

—————…………………………………………………………………

            Um outro aspecto que a graça de Deus provoca no homem, refere-se ao que chamo de comportamento honrado:

            COMPAIXÃO: Se alguém não possui essa atitude, não vive um cristianismo puro!       

MISERICÓRDIA: Se alguém não experimenta de misericórdia até para com seus desafetos não está vivendo um cristianismo completo, por mais que esteja revestido de função ou cargo eclesiástico. É o pior dos pecadores por que nega a palavra de Deus ao não demonstrar misericórdia e expressa tão somente sua vontade humana e carnal diante das mais diferentes situações.

A justiça comum não demonstra misericórdia, mas apresenta os autos e justiça é fria quando se trata de determinar “COISA JULGADA”.

 COISA JULGADA: É a qualidade conferida à sentença judicial contra a qual não cabem mais recursos, tornando-a imutável e indiscutível.

            A coisa julgada evangélica é de falta de misericórdia, ela é injusta nas duas instâncias, na justiça comum e na divina.

Alguns julgam que todo o pecado parece que se remete tão somente ao sexo e adultério. Esquecem de detalhes pequenos detalhes. COMO:

1)    A falta de misericórdia

2)    A falta de compaixão pelos irmãos que pecaram

3)    A falta de amor por aqueles que um dia estiveram entre nós.

4)    Julgamentos precipitados que podem destruir uma vida.

            Eu considero esses desvios de conduta iguais ou piores do que aqueles por destroem várias pessoas.

 CONCLUSÂO:

Baseado nisso é que se afirma categoricamente que a graça de Deus é injusta e a justiça de Deus é ingrata, pois uma é contrária a outra. Afinal, se a graça do Criador não fosse injusta ela não seria graciosa; e se a justiça Dele não fosse ingrata também não seria justa.

Vejamos também uma história que ilustra muito bem esse fato da graça injusta. Mat. 20:

Graça é uma palavra pequenininha, mas é uma coisa tremenda, graça é algo que o homem não tem!

Uma coisa que não está nele.

Graça é tudo aquilo que Deus concede ao homem e não está nele.

Paulo diz 1Co.2:9: Aquilo que o olho não viu o ouvido não ouviu. Aquilo que não passou pela mente humana.

Está é uma passagem que agente sempre fala em relação ao céu.

Mas se você olhar o contexto, na passagem de Paulo, ele não está falando do céu, está falando da experiência da graça.

A experiência de contato que a pessoa tem.

Graça é tudo isso!

Jota Bê.

Anúncios
comentários
  1. manoel disse:

    parabens por tao boa orientaçao. gostaria muito de receber mais orientaçao e esclarecimentos sobre assuntos direcionados a biblia se eh verdadeira ou……? a final de contas o que eh religiao e qual a certa ? assuntos verdadeiros obijetivos e bem esclarecidos sem tantas acusaçoes sobre pecados e condenaçoes que tanto se fala, tanto se acusa e apedreja escritos por profetas e apostolos dizendo terem sido orientados por Deus. as vezes fico maluco, nao entendo mais nada, leio e procuro bastante artigos na internet e cada vez fico mas desentendido ainda. li este artigo, gostei, gostaria de receber sempre emails em minha cx sobre assuntos religiosos serios verdadeiros e bem convecedor.
    muito grato.
    manoel

  2. olavosaldanha disse:

    A Igreja Missão Evangélica não é uma igreja protestante, é derivada de uma corrente religiosa relativamente recente que guarda quase nenhuma substância do protestantismo. O pouco que tem de convicções doutrinárias reformadas continua a sofrer as interferências do emocionalismo e falta de preparo de alguns dos seus dirigentes.

    Ei, vai aparecer não?

  3. olavosaldanha disse:

    A pregação é digna de um bom público. Pena que o principio regulador do culto numa igreja pentecostal não permita dar a esta pregação o valor que ela merece.

  4. pastor Angelo jose de freitas disse:

    pensando bem no assunto, que a Graça de Deus é injusta, e a justiça de Deus é ingrata.
    Eu cheguei a seguinte conclusão, Este é o grande e poderoso motivo de Eu estar vivo e ainda sendo abençoado Por Deus.
    tenho 36 anos e durante a minha vida Eu comete terriveis pecados. e em fevereiro de 2001 quase que Eu recebe o justo pagamento das minhas mas obras. Eu já tinha tentado de tudo pra morrer e no momento
    mais tenso da minha vida Eu peguei um revolver 22 para atirar no ouvido mas meu braço direito ficou
    mobilizado e não se movia nem pra baixo nem pra cima e meu dedo movimentou e a arma disparou
    pra baixo no chão. Eu foi salvo pela injusta Graça de Deus, e pela ingrata justiça de Deus.

    romanos c 6 v 23 porque o salário do pecado é a morte, mas o Dom gratuito de Deus é a Vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

    se Eu estivesse morrido naquele dia Eu tinha ido pra eternidade sem Jesus.

    OBRIGADO SENHOR JESUS PELA INJUSTIÇA QUE A GRAÇA DO SENHOR ME FEZ NÃO ME
    PERMITINDO RECEBER O JUSTO PAGAMENTO PELOS MEUS PECADOS………………..

  5. O conceito que os primeiros cristãos tinham da graça era diferente que a de nós. A igreja primitiva não via a graça como algo que passa por alto os pecados senão aquela que nos ensina como arrepender nos dos pecados. Veja… http://www.aigrejaprimitiva.com/dicionario/GRACIA.html

  6. DEIXO AQUI MEUS SINSEROS CONSELHOS,QUE JESUS FOI 100%deus E 100%homem NA TERRA NINGUEM PODE TIRAR ISSO DELE,E O UNICO QUE DISSE QUE RESSUSCITARIA E CUMPRIU O QUE DISSE.

  7. Hidalgo disse:

    Deus é justiça, assim afirma o salmista, ora, sendo assim, não pode haver qualquer sobra de injustiça nem em Deus, nem em seus feitos. A graça não é injusta, pelo contrario, como bem explanado nada tem a ver com justiça, tem a ver com amor. Deus, na história da redenção manifestou sua justiça para com o homem ao cumprir o que era certo, houve pecado, alguém deve morrer, isso é justiça. Por outro lado, mesmo antes de haver o pecado, o próprio Jesus, expontaneamente se prontificou a morrer em lugar do pecador, isso é amor. Não há qualquer manifestação de injustiça nisso, há sim a manifestação de dois grandes atributos divinos e inseparáveis, a justiça e o amor. Injusta seria se Jesus fosse sacrificado contra sua vontade, mas uma vez tendo se oferecido e me ofertado sua justiça como presente, tendo eu aceito e sido imputada a mim a justiça merecida de Cristo, passo a ser também merecedor. É esse amor que deve me impressiona, Ele Fez de tudo para me tornar merecedor da salvação, e hj eu o sou, por sua justiça imputada. Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, isso porque são justos através da justiça de cristo. Não há qualquer sombra de injustiça na graça e muito menos de ingratidão na justiça, Deus continua sendo perfeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s