TODO DESEJO TEM UMA RELAÇÃO COM A LOUCURA

Publicado: novembro 26, 2014 em FILOSOFIA
Tags:

Area: Filosofia politica

Abordagem: Feminismo

Igaray afirma que cada sexo tem sua própria relação com o desejo e como resultante, cada sexo tem uma relação com a loucura. Isso poe em duvida uma longa tradição de identificar a masculinidade com a racionalidade e a feminilidade com a irracionalidade.

Luce Irigaray é uma filósofa e feminista belga. Destaca-se no estudo do feminismo francês contemporâneo e em filosofia européia. É uma pensadora interdisciplinar cujos trabalhos se dividem entre filosofia, psicanálise e linguística. Obteve um mestrado da Universidade de Louvain em 1955. Lecionou no ensino médio em Bruxelas de 1956 a 1959. No início da década de 1960 mudou-se para a França, onde obteve o mestrado em Psicologia junto à Universiade de Paris em 1961. No ano seguinte diplomou-se em Psicopatologia. Retornou à Bélgica onde trabalhou para a Fondation Nationale de la Recherche Scientifique (FNRS), de 1962 a 1964, após o que passou a trabalhar como Assistente de Pesquisa junto ao Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) em Paris, vindo a se tornar Diretora de Pesquisas. Ainda na década de 1960 participou de seminários psicanalíticos de Jacques Lacan, com quem estudou análise. Em 1968 alcançou um doutorado em Linguística. De 1970 a 1974 lecionou na Universidade de Vincennes. Nesta fase, Irigaray foi membro da École Freudienne de Paris, dirigida por Lacan. Em 1969 dedicou-se à análise de Antionette Fouque, uma líder do Movimento de Liberação Feminina da época. Sem se ligar a qualquer grupo feminista, envolveu-se na demonstração de medidas anticoncepcionais e na defesa dos direitos de aborto. Recebeu convites para ministrar seminários e falar em conferências por toda a Europa, muitas delas tendo sido publicadas. No segundo semestre de 1982, Irigaray assumiu a cadeira de Filosofia na Universidade Erasmo em Rotterdam, tendo a sua pesquisa à época conduzido à publicação de "Uma ética da Diferença Sexual", o que contribuiu para firmar a sua reputação como filósofa no continente. O trabalho de Irigaray influenciou o movimento feminista na França e na Itália por várias décadas. Desde a década de 1980 tem se manifestado a favor do movimento comunista italiano, por meio de visitas e aulas naquele país. Nessa década conduziu pesquisa no Centre National de la Recherche Scientifique acerca das diferenças de linguagem entre homens e mulheres, baseando-se em oradores de muitas línguas. Em 1986 transferiu-se da Comissão de Psicologia para a Comissão de Filosofia visto ser este último campo o seu preferido.

Luce Irigaray é uma filósofa e feminista belga. Destaca-se no estudo do feminismo francês contemporâneo e em filosofia européia. É uma pensadora interdisciplinar cujos trabalhos se dividem entre filosofia, psicanálise e linguística. Obteve um mestrado da Universidade de Louvain em 1955. Lecionou no ensino médio em Bruxelas de 1956 a 1959. No início da década de 1960 mudou-se para a França, onde obteve o mestrado em Psicologia junto à Universiade de Paris em 1961. No ano seguinte diplomou-se em Psicopatologia. Retornou à Bélgica onde trabalhou para a Fondation Nationale de la Recherche Scientifique (FNRS), de 1962 a 1964, após o que passou a trabalhar como Assistente de Pesquisa junto ao Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) em Paris, vindo a se tornar Diretora de Pesquisas. Ainda na década de 1960 participou de seminários psicanalíticos de Jacques Lacan, com quem estudou análise. Em 1968 alcançou um doutorado em Linguística. De 1970 a 1974 lecionou na Universidade de Vincennes. Nesta fase, Irigaray foi membro da École Freudienne de Paris, dirigida por Lacan. Em 1969 dedicou-se à análise de Antionette Fouque, uma líder do Movimento de Liberação Feminina da época.
Sem se ligar a qualquer grupo feminista, envolveu-se na demonstração de medidas anticoncepcionais e na defesa dos direitos de aborto. Recebeu convites para ministrar seminários e falar em conferências por toda a Europa, muitas delas tendo sido publicadas.
No segundo semestre de 1982, Irigaray assumiu a cadeira de Filosofia na Universidade Erasmo em Rotterdam, tendo a sua pesquisa à época conduzido à publicação de “Uma ética da Diferença Sexual”, o que contribuiu para firmar a sua reputação como filósofa no continente.
O trabalho de Irigaray influenciou o movimento feminista na França e na Itália por várias décadas. Desde a década de 1980 tem se manifestado a favor do movimento comunista italiano, por meio de visitas e aulas naquele país. Nessa década conduziu pesquisa no Centre National de la Recherche Scientifique acerca das diferenças de linguagem entre homens e mulheres, baseando-se em oradores de muitas línguas. Em 1986 transferiu-se da Comissão de Psicologia para a Comissão de Filosofia visto ser este último campo o seu preferido.

Todo desejo possui íntima relação com a loucura. O vulcano Spock, da série Star Trek, aconselham à ausência de desejos ou, no mínimo, à sua contenção, pois todos os desejos contêm em si a semente da frustração e da infelicidade. Todo desejo não satisfeito gera, em diferentes gradações, frustração, que por sua vez é mãe da infelicidade. Do universo de desejos, somente alguns serão realizados, ou seja, os desejos são infinitos, enquanto as satisfações são finitas. As chances de frustração, assim, serão sempre maiores do que as de satisfação. Esse é o vínculo entre desejo e loucura, pois há algo de insano em produzir desejos e mais desejos cujas chances de realização são ínfimas. O estado ideal do ser humano, nesse sentido, seria evoluir para algo extremamente racional como os vulcanos e vivenciar a ataraxia, a ausência total de apetites e emoções. Claro que é um absurdo imaginar um ser humano totalmente desprovido de anseios, já que alguns são inerentes à própria existência, como as necessidades básicas de água e alimentos. Então, como equacionar a inexorabilidade dos desejos de baixa possibilidade de realização com a eterna busca de felicidade pelo ser humano? A primeira dica, óbvia, é evitar desejar o impossível. O impossível jamais se concretizará e a chance de frustração é de exatos cem por cento. Não adianta, por exemplo, pretender, aos sessenta anos, possuir a aparência de vinte. Ao menos nesse momento tecnológico, esse desejo é impossível. Fujam disso, vaidosos! Afastados os desejos impossíveis, evite também os de difícil realização. Por que desejar algo tão difícil, que exigirá sacrifícios enormes e que provavelmente jamais se concretizará? A chance mais palpável disso é resultar em frustração e infelicidade. Persiga a felicidade através de desejos simples e facilmente alcançáveis. Dê, sobretudo, prioridade aos desejos que você mesmo possa satisfazer, sem necessitar de auxílio alheio. Por exemplo, se alguém que mora perto do mar ou de um rio, sente um ímpeto de pescar e tem uma certa condição financeira, basta ir a uma loja de pesca, comprar uma vara e os demais apetrechos e ir à luta, ou melhor, à pesca. Essa pessoa não necessita do auxílio de ninguém para isso, de modo que esse desejo de pescar é facilmente alcançável e possui baixa possibilidade de frustração. Claro, ele poderá não pescar peixe algum, mas isso é outro desejo. Caso algum forte desejo necessite de auxílio, dê prioridade aos que possam ser auxiliados por pessoas muito próximas e amigas, pois elas estão mais facilmente predispostas a te ajudarem. Lembre-se que desapego não é somente deixar de dar importância ao que já se tem, mas também ao que se pretende ter. Desapego é uma espécie de desejo, porque desejar é querer e, em última análise, desapego é querer não querer. O desapego, porém, é um desejo do tipo fácil, pois depende somente da pessoa e da extensão de sua força moral. Enfim, a relação entre loucura e desejo pode ser mitigada pela natureza dos próprios desejos. Desapegue-se dos desejos impossíveis, difíceis e complicados. Seja simples, deseje coisas simples. Quanto mais simples o desejo, menor a loucura, menor a possibilidade de frustração, menor a infelicidade. A felicidade, afinal, não está em algo desejado ou obtido fora de cada um de nós, mas na paz de espírito oriunda do conhecimento nascido dentro de nós sobre nós mesmos.

frase-o-sonho-representa-a-realizacao-de-um-desejo-sigmund-freud-101388

QUESTÕES

1- É possivel o ser humano isentar-se de qualquer tipo de desejo? Porque? Pensando na religião Budista que diz: Que o desejo é sofrimento…o que caberia a explicarmos nesse contexto. Abra um discurso e escreva sua impressão do texto acima e a leitura religiosa sobre o sofrimento na ótica budista.

Anúncios
comentários
  1. Igor Victor disse:

    Desejo. “Sentimento vil que corroe por dentro toda carne que se expõe, mostra a dor, pois o desejo se refere sempre àquilo que não temos.” O ser humano é falho ao desejar algo que o mesmo sabe ser impossível de conquistar, sabendo que se não isentar esse desejo ele terá uma frustração/decepção futura. É melhor ter desejos pequenos e de fácil concretização (facilitando assim a felicidade futura) do que ter desejos mais complexos e de difícil realização pois, se assim ocorrer, o mesmo será coberto pela infelicidade. A loucura chega no ato de decepção ao ver o desejo não realizado.

  2. Yngrid Nascimento Moura disse:

    Desejo, é uma loucura da carne em querer algo que nao se tem. O homem erra muito em querer algo que sabe ser impossível, sabendo que isso vai causar uma frustração. Por isso é melhor ter sonhos fáceis e baixos, assim fica mais próximo de uma realização e diminui decepções futuras. A loucura é gerada quando algo desejado não se concretiza. Para não se frustrar futuramente, é melhor não querer coisas fora de seu alcance. Pois o impossível jamais se realizará e quanto mais simples os desejos , menor a loucura e maior as chances de realização.

  3. joaobosco disse:

    Boa analise. Parabens!

  4. joaobosco disse:

    Parabeens pela leitura e impressão dos pensamentos do autor.

  5. Widney Lima disse:

    Todo desejo possui íntima relação com a loucura. Estamos loucos nessa afirmação? Penso que não. De fato, um indivíduo de perfeita sanidade agirá de forma precisa com a consciência imposta pela razão e pela lógica. Assim, todo desejo não satisfeito gera em diferentes gradações, frustração, que por sua vez é mãe da infelicidade. Do universo de desejos, somente alguns serão realizados, ou seja, os desejos são infinitos, enquanto as satisfações são finitas. Contudo, as chances de frustração, assim, serão sempre maiores do que as de satisfação. Esse é o vínculo entre desejo e loucura, pois há algo de insano em produzir desejos e mais desejos cujas chances de realização são pequenas.

  6. Angela Patricia de Almeida disse:

    Desejo, vontade de ter algo, objetivo ou proposito, excesso de querer, principalmente bens materias que todo ser humano possui uma vontade de si proprio.
    As chances de frustacoes, assim serao bem maiores do que as de satisfacao pois o ser humano tem desejos inpossiveis de conseguir, porem o desejo pode gerar anbicao e anseio o inportante e ter o bom senso dos desejos.

  7. margarida suellen disse:

    O desejo e algo que vem da carne e das coisas que nao temos,mas vamos fugir de desejos que não esta ao alcance que são impossíveis, pois somos ser humanos e sei se não conquistamos aquilo terá uma grande decepcao, então e melhor ter desejos que sera possível pra si mesmo do que chegar a uma loucura por algo que não pode ter e só desejar.
    Pois com o desejo que podemos realizar sera bom para se mesmo, mas com algo que sera impossível, alem de acontecer uma loucura podemos ter no futuro uma infelicidade.

  8. joaobosco disse:

    Parabens pela analise

  9. joaobosco disse:

    Boa analise, boa resposta e bom uso dos questionamentos.

  10. Daniel Costa Rodrigues de Souza disse:

    bem, o desejo é algo inevitável pois como o próprio autor diz não há como não sentimos desejos, já que o desejo do alimento e da água como por exemplo irá sempre nus trazer a necessidade de realiza-lo, porém há como evitarmos desejos impossíveis pois eles só irão nus trazer infelicidade e decepções futuras , se evitarmos teremos uma vida mais feliz e satisfatória sem decepções, sem expectativas frustras.

  11. Alleff disse:

    o desejo é uma tensão em
    direção a um fim considerado pela pessoa que
    deseja como uma fonte de satisfação . É uma
    tendência algumas vezes consciente , outras
    vezes inconsciente ou reprimida . Quando
    consciente, o desejo é uma atitude mental que
    acompanha a representação do fim esperado, o
    qual é o conteúdo mental relativo à mesma.
    Enquanto elemento apetitivo , o desejo se
    distingue da necessidade fisiológica ou
    psicológica que o acompanha por ser o
    elemento afetivo do respectivo estado fisiológico ou psicológica.

  12. Vandioberg disse:

    Todo desejo tem relação com a loucura pois quando desejamos algo fazemos as vezes loucuras para poder conquistar uma pessoa ou objeto muito desejado pela pessoa
    As vezes passamos dos limites para alcançar
    Uma coisa que desejamos muito e queremos possuir ou pode ter um sentimento além do desejo ..
    Fazemos coisas por loucuras e acabamos nos decepcionando muitas vezes com relação a pessoas ,
    Isso causa um transtorno pois desejamos tanto e fazemos loucuras pra lá na frente se decepcionar ….

  13. O desejo é algo muito bom mas também pode ser algo muito aterrorizador.
    É do desejo que você vai criar a quela disposição, força de vontade para realizar oque quer,
    pode acontecer alguns imprevistos, as coisas na sua vida podem começar dar erradas impedindo que você realize o seu tão almejado desejo, dai que vem o lado aterrorizante do desejo, pessoas si frustam e tem pessoas que não sabem aceitar essa frustração, não querem acreditar que algo deu errado, por isso começam a fazer qualquer coisa para realizar o desejo passando por cima de tudo e de todos, pessoas que chegaram nessa etapa já estão num estado de loucura.
    Por isso é bom evitar sonhar e desejar aqueles sonhos impossíveis, isso ti deixará menos frustrado, menos cansado e mais feliz.

    Edvaldo Do Nascimento Neto #3ºano”u” E.E.S.L.G

  14. edneide lima disse:

    O desejo e a vontade de ter,querer e possuir algo que nem sempre está ao nosso alcance. O desejo e uma loucura da carne, para conseguir o que desejamos e preciso batalhar pois nem sempre e fácil alcançar o que desejamos.
    Pois querer nem sempre e poder

  15. joaobosco disse:

    Parabens…se redimiu

  16. Gesilane Cavalcante disse:

    Todo desejo tem relação com a loucura, pois
    quando desejamos somos capazes de fazer tudo para conquistar. Mas, desapega-se de desejos complicados nos da a menor possibilidade de infelicidade. Podemos ser felizes com simples desejos realizados.

  17. Todo desejo tem realmente uma relação com a loucura, o desejo é algo quase que inevitável de sentir, mas, como é falado no texto temos que saber dosar essas sensações, não é nada fácil, mas esse texto serve como uma auto ajuda, quando o autor nos fala pra termos desejos fáceis de realizar, assim, não teremos frustrações, e acharemos o caminho da felicidade.

  18. Christiely Sabrina disse:

    É difícil mas não impossível, nos seres humanos se prendemos tanto ao desejos que esquecemos de tentar viver, e de realiza los.
    O que Desejo? E quando desejamos algo que em nossa mente possa nos satisfazer,seja desejo pela matéria ou carnal.
    O que e sofrimento? E o que sentimos quando não satisfazemos nossos desejo.
    E se prendemos mas e mas em nossos desejos,ansiedades e pensamentos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s